Pesquisar este blog

28 de out de 2016



Divulgados projetos de INCTs que serão financiados

O Comitê de Coordenação dos INCTs definiu nesta quarta-feira, 26, 101 projetos que receberão recursos no âmbito da Chamada INCT- MCTI/CNPq/CAPES/FAPs nº 16/2014.


Neste primeiro momento, serão financiados, por parcerias entre os entes federais (CAPES, CNPq e FINEP) e estaduais (Fundações de Amparo à Pesquisa). As demais propostas recomendadas no mérito que não foram contempladas entre os 101 projetos selecionados poderão solicitar um "Selo INCT" que os credenciará para busca de financiamento.

Havendo aporte financeiro adicional, outras propostas dentre as selecionadas por mérito poderão ser financiadas no futuro.

A partir desta quarta-feira, haverá prazo para recursos até o dia 07/11/2016 às 18h.

Coordenação de Comunicação Social do CNPq

21 de out de 2016


INCT - Herbário Virtual da Flora e dos Fungos está entre os projetos que deverão ser financiados

 
A lista dos 100 projetos selecionados será submetida à aprovação da Diretoria Executiva do CNPq e do Comitê de Coordenação dos INCTs (Coordenado pela Secretaria Executiva do MCTIC).


       No dia 14 de outubro de 2016 o CNPq divulgou a seguinte nota:
A definição de cofinanciamento para as propostas de Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) apresentadas no âmbito da Chamada INCT - MCTI/CNPQ/CAPES/FAPs no. 16/2014 foi objeto de deliberação de reunião do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) na sede do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em Brasília, no dia 05 de Outubro de 2016.
O encontro contou com a presença do Presidente substituto do CNPq, Marcelo Morales e da Diretora de Cooperação Institucional do CNPq, Glenda Mezarobba; além da Vice-Presidente do Confap e Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás, Maria Zaira; e representantes das FAPs do Distrito Federal, Piauí, Tocantins, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Maranhão, Rondônia, Rio de Janeiro, Sergipe, Ceará, Paraná, Pernambuco e Minas Gerais.

Neste primeiro momento, serão financiados, por parcerias entre os entes federais (CAPES, CNPq/MCTIC e FINEP/FNDCT) e estaduais, 100 projetos,  resultantes da presente fase de negociação (realizada a partir das 252 propostas divulgadas em maio deste ano). As demais propostas recomendadas no mérito que não foram contempladas entre os 100 projetos selecionados para financiamento poderão solicitar um "selo de reconhecimento" e manter o status de INCT.
A lista dos 100 projetos selecionados será, ainda, submetida à aprovação da Diretoria Executiva do CNPq e do Comitê de Coordenação dos INCTs (Coordenado pela Secretaria Executiva do MCTIC). A previsão é a de que a lista final seja divulgada na segunda quinzena de Novembro deste ano.
Coordenação de Comunicação Social do CNPq
O INCT - Herbário Virtual está classificado em 56o. lugar. O INCT-HVFF integra 105 herbários nacionais associados e 25 herbários do exterior, além de 15 herbários nacionais não associados, mas que também compartilham seus dados on-line. Juntos disponibilizam mais de 5,4 milhões de registros e mais de um milhão de imagens, além de várias ferramentas de livre acesso.




18 de out de 2016


A rede speciesLink supera o marco de 8 milhões de registros on-line

Graças à integração de 441 conjuntos de dados, sendo 400 de coleções brasileiras, a rede speciesLink ultrapassa o marco de 8 milhões de registros. 



Distribuição geográfica dos provedores de dados do Brasil
e relação dos provedores do exterior

Nessa rede, cada provedor de dados é essencial e merece o reconhecimento de todos pelo esforço e disposição em compartilhar os dados do seu acervo de forma livre e aberta a todos.

Destaque deve ser dado à ação articulada de um dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT), o Herbário Virtual da Flora e dos Fungos (HVFF), responsável por cerca de 67% dos dados on-line. O INCT-HVFF é responsável pelos principais desenvolvimentos da rede nos últimos 7 anos, graças ao apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC).

Estatísticas do Uso dos Dados da rede speciesLink
Vários aplicativos, como a nova interface de busca, a ferramenta de georreferenciamento automático, o aprimoramento dos aplicativos que compõem a ferramenta data cleaning, o servidor de imagens e a interface que apresenta as estatísticas de uso dos dados, são também úteis e utilizados pelos demais grupos taxonômicos da rede.

É importante citar outras agências e projetos que também contribuíram para o sucesso da rede. A Fapesp (2001 a 2008) foi quem primeiro investiu na ideia de desenvolver um sistema distribuído de informação sobre espécies e espécimes (fauna, flora e microbiota), associado a um sistema de previsão de distribuição geográfica de espécies. 

Para as coleções microbianas, desde 2001, a rede speciesLink teve importante apoio do CNPq e da Finep, visando consolidar o Sistema de Informação de Coleções de Interesse Biotecnológico.

Outras agências de fomento como a JRS Biodiversity Foundation, o Global Biodiversity Information Facility (GBIF) e mais recentemente a Associação Brasileira de Estudo das Abelhas (A.B.E.L.H.A.) e a Open and Collaborative Science in Development Network (OCSDNet) também são importantes parceiros, fundamentais para a conquista desse resultado.

O CRIA agradece a todos os seus parceiros, às dezenas de instituições e centenas de curadores, pesquisadores e alunos, sem os quais o país não teria à sua disposição essa infraestrutura pública de dados e ferramentas tão importante para o avanço científico em biodiversidade e para a gestão ambiental do nosso país. Rumo aos 9 milhões!