11 de ago de 2017

Indicador da Rede speciesLink: Contribuição versus Dependência



Com base nos dados on-line, o indicador Contribuição versus Dependência, apresenta uma matriz onde as colunas apresentam o número de registros on-line por estado e as linhas mostram o número de registros que as coleções de cada estado estão compartilhando.

Clique no link a seguir para acessar a matriz: http://splink.cria.org.br/indicators/stateGraph

Da tabela podemos observar os estados que mais compartilham informações, os estados com mais dados e os estados que mais dependem das informações de coleções biológicas de outros estados.

Os dados do dia 1º. de agosto de 2017 apresentam o seguinte gráfico de compartilhamento de dados com a rede speciesLink, lembrando que o indicador só considera dados de coletas ou observações realizadas no Brasil.



Percentual de Compartilhamento de Dados por Estado

Podemos observar que as coleções do Estado de São Paulo contribuem com 22% dos dados do Brasil, as coleções do exterior com 13%, Paraná com 12%, Rio Grande dos Sul com 8%, Bahia e Minas Gerais com 7%, Distrito Federal e Amazonas com 5% e os estados do Espírito Santo e Pernambuco com 4%. Esses estados e as coleções do exterior são responsáveis por 87% dos dados de ocorrências no Brasil.

Uma outra informação interessante desse indicador é o grau de dependência que cada estado tem em relação aos dados de coleções de outros estados e do exterior. Esse percentual é calculado da seguinte forma:

Dependência = (No. total de registros de material coletado no estado – No. de registros de material coletado no estado e mantido em coleções do estado)/No. total de registros de material coletado no estado

O indicador é atualizado no 1º. dia de cada mês desde fevereiro de 2011, portanto temos um período de 6 anos e meio para avaliar a evolução da dependência de cada estado.

A tabela a seguir mostra a fotografia dos dados em fevereiro de 2011 e em agosto de 2017.


Estado
Fevereiro de 2011
Agosto de 2017
Conjuntos de dados
Dependência
Conjuntos de dados
Dependência
AC
7
80,29%
7
68%
AL
1
50,58%
1
55%
AM
32
50,17%
35
56%
AP
0
100,00%
1
84%
BA
3
61,52%
13
42%
CE
1
44,45%
3
51%
DF
4
54,64%
8
41%
ES
16
32,73%
18
34%
GO
0
100,00%
4
89%
MA
0
100,00%
7
67%
MG
5
91,80%
41
55%
MS
0
100,00%
4
50%
MT
1
99,51%
15
75%
PA
0
100,00%
10
92%
PB
4
25,29%
4
38%
PE
10
26,50%
15
35%
PI
1
80,89%
7
72%
PR
33
22,79%
49
26%
RJ
7
36,11%
30
72%
RN
2
53,28%
2
72%
RO
3
99,27%
6
79%
RR
0
100,00%
2
76%
RS
1
67,62%
31
20%
SC
1
68,79%
8
64%
SE
1
50,84%
2
39%
SP
59
14,46%
95
19%
TO
0
100,00%
2
74%
Exterior
5

41



Um primeiro ponto a ser observado é que em 2011 sete estados não tinham nenhuma coleção integrada à rede. Hoje não existe nenhum estado com 100% de dependência, ou seja, existem coleções em todas as unidades federativas do país, compartilhando dados com a rede speciesLink. Isso é resultado do projeto INCT - Herbário Virtual da Flora e dos Fungos que conseguiu estabelecer parcerias com pelo menos um herbário em cada unidade federativa do país.Também merece destaque as parcerias estabelecidas com coleções do exterior que de 5 conjuntos de dados passou a ter 41.
 
Distribuição Geográfica dos Provedores de Dados da Rede speciesLink

O Estado de São Paulo continua sendo o estado com a menor dependência dos dados de outras unidades da federação, mas essa dependência aumentou de 14 para 19% graças à integração de mais de 200 novos conjuntos à rede. Hoje, os estados do Pará, Goiás, Amapá, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Tocantins, Piauí, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte têm uma dependência superior a 70%. Além da ausência de importantes acervos que ainda não compartilham ou deixaram de compartilhar seus dados com a rede, ainda é necessário apoiar a digitalização dos acervos, a realização de novas coletas e continuar o trabalho de convencimento sobre a importância do compartilhamento aberto de dados em redes colaborativas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário