18 de fev de 2014

Coleção de Peixes do Laboratório de Ictiologia Sistemática da Universidade Federal do Tocantins (UNT) integra os dados de seu acervo à rede speciesLink

São mais de 12 mil registros, com cerca de 11 mil georreferenciados pela coleção e 120 lotes de parátipos. Além disso, inclui uma das maiores coleções de raias de água doce do planeta, com centenas de exemplares coletadas no Alto e Médio rio Tocantins.



Distribuição geográfica dos registros da Coleção de Peixes do Laboratório de Ictiologia Sistemática da Universidade Federal do Tocantins (UNT) disponíveis online na rede speciesLink.


O foco geográfico da coleção é o estado do Tocantins, representado por 85% dos dados online. A coleção tem dados importantes e representativos da biodiversidade de peixes da bacia do Rio Araguaia como um todo, assim como de sub-bacias das bacias do Rio São Francisco e do Atlântico Leste. O acervo possui 427 espécies, usando como referência o Catálogo da Vida, sendo que sete dessas espécies estão incluídas na Lista da Fauna Ameaçada de Extinção do MMA. Os dez gêneros com maior quantidade de dados de ocorrência online na coleção UNT são: Moenkhausia (685 registros); Knodus (566 registros); Hemigrammus (499 registros); Hypostomus (441 registros); Potamotrygon (383 registros); Leporinus (365 registros); Astyanax (308 registros); Serrasalmus (277 registros); Geophagus (233 registros); Crenicichla (223 registros). 

O acervo inclui material coletado desde 1964, mas a maior parte dos registros foi coletada a partir de 1995.


Dados dos acervos de peixes disponíveis na rede speciesLink

Existem mais de 260 mil registros de acesso livre e aberto na Internet sendo que mais de 230 mil são georreferenciados. Estes registros incluem 5.634 espécies (nomes aceitos segundo o Catálogo da Vida), sendo que destas 102 espécies estão na Lista da Fauna Ameaçada do MMA. 32% dos registros do Brasil são da região Norte, 27% do Sul, 22% do Sudeste, 13% do Centro Oeste e 6% do Nordeste. A rede possui dados de coletas entre 1923 a 2014 incluindo 4.281 parátipos, 881 holótipos, 30 lectótipos, 20 topótipos, 18 paralectótipos e 17 neótipos. 


Distribuição geográfica dos registros de espécies incluídas na Lista da Fauna Ameaçada do MMA provenientes de 16 coleções ictiológicas integrantes da rede speciesLink

Fonte dos dados: Coleção Ictiológica da Universidade Federal do Espírito Santo (CIUFES), Coleção de Peixes da Universidade Federal de Mato Grosso (CPUFMT), Coleção de Peixes DZSJRP (DZSJRP-Pisces), Coleção de Peixes INPA (INPA-Peixes), Coleção de Peixes do Laboratório de Ictiologia de Ribeirão Preto (LIRP), Coleção de Peixes (MBML-Peixes), Coleção de Peixes (MCP-Peixes), Coleção de Peixes MHNCI (MHNCI-Peixes), Museu de Zoologia da Universidade Estadual de Londrina - Coleção de Peixes (MZUEL-Peixes), Coleção de Peixes do Museu de Zoologia da USP (MZUSP), Coleção de Peixes (NPM), Coleção Ictiológica do Nupélia (NUP), Coleção de Peixes (UFRGS), Coleção de Peixes do Laboratório de Ictiologia Sistemática da Universidade Federal do Tocantins (UNT), Zoneamento Ecológico Econômico do Acre - Ictiofauna (ZEE_ICTIO), Coleção de Peixes do Museu de Zoologia da UNICAMP (ZUEC-PIS) disponível na rede speciesLink (http://www.splink.org.br) em 17 de Fevereiro de 2014 às 14:45.


Nenhum comentário:

Postar um comentário