20 de mai de 2016

O papel e a importância do INCT – Herbário Virtual da Flora e dos Fungos na Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação


O INCT - Herbário Virtual da Flora e dos Fungos é um dos projetos recomendados pelo CNPq para financiamento


O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação lançou no dia 12 de maio pp. a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) 2016-2019. O papel dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) é destacado na produção da pesquisa de excelência sob a forma de redes e são incluídos dentre os principais atores que compõem o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI) do país.


Principais atores do SNCTI (ENCTI 2016-2019)
Como operadores de CT&I, os INCT congregam as unidades de pesquisa de maior excelência no País. O programa iniciado em 2008 aportou cerca de R$ 870 milhões para o desenvolvimento dos 125 institutos, envolvendo 6.794 pesquisadores e 1.937 instituições. Isso dá uma média de 54 pesquisadores e 15 instituições por instituto. 

O INCT Herbário Virtual da Flora e dos Fungos (INCT-HVFF) faz parte deste seleto grupo. Iniciou os trabalhos com 25 herbários associados, e hoje integra 101 herbários nacionais associados, 21 herbários do exterior, uma palinoteca, três fototecas e duas bases de dados taxonômicas. O INCT-HVFF tem pelo menos um herbário associado em cada Estado da União, o que demonstra o seu escopo geográfico nacional, contando com importantes coleções especializadas nas diferentes regiões do país. A maior parte dos herbários está associada aos cursos de pós-graduação, o que demonstra também sua grande influência na formação de recursos humanos. 

O INCT – HVFF conseguiu ampliar o orçamento inicial de cerca de três milhões de reais nos primeiros três anos, com recursos dos programas Reflora (Plantas do Brasil: Resgate Histórico e Herbário Virtual para o Conhecimento e Conservação da Flora Brasileira) e Sisbiota Brasil (Sistema Nacional de Pesquisa em Biodiversidade), todos com o apoio do CNPq, contando também com os recursos institucionais dos herbários associados, da RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa) e do CRIA (Centro de Referência em Informação Ambiental). 

Além dos mais de 5 milhões de registros on-line, mais de um milhão de imagens e várias ferramentas de acesso público também disponibilizadas on-line, merece destaque o trabalho do Comitê Gestor de fortalecimento da rede, promovendo a articulação de competências. Entre outras ações, foram oferecidos cursos, visitas de especialistas e definidas estratégias para assegurar estudos taxonômicos de grupos pouco estudados.

Um importante indicador do valor do INCT-HVFF para a sociedade é o uso dos dados on-line. Nos últimos 2 anos foram utilizados mais de 400 milhões de registros por ano. Assim, como rede, graças ao INCT-HVFF o Brasil conta hoje com um serviço de dados comparável aos grandes herbários dos Estados Unidos e Europa.

A proposta de continuidade e consolidação do INCT-HVFF foi apresentada ao CNPq em atendimento à Chamada Pública MCTI/CNPQ/CAPES/FAPS Nº 16/2014 - Programa INCT. Foram recebidas 345 propostas, sendo 115 de INCT já existentes e 230 propostas de criação de novos institutos. No dia 11 de maio pp. o CNPq divulgou o resultado do julgamento do edital, recomendando 252 propostas, sendo que o INCT-HVFF está na 56ª colocação. Até 11 de julho de 2016, será desenvolvida pelo MCTI, por intermédio do CNPq, negociação com as instituições parceiras (CAPES, FINEP e FAPs) para cofinanciamento das propostas recomendadas. Outros organismos, públicos ou privados, que desejarem aportar recursos também poderão participar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário